Por que os diabéticos fazem parte do grupo de risco da covid-19 ?

Autores*: Letícia Siqueira Araújo, Gabriella Yuka Shiomatsu, Vitor Yukio Ninomiya, Ricardo Tadeu de Carvalho.

Você sabe por que a covid-19 em diabéticos pode ser diferente dos casos leves da maioria dos infectados? Algumas pessoas têm maior risco de desenvolvimento da forma grave da doença — são os chamados grupos de risco da covid-19. Os diabéticos, por exemplo, fazem parte dele.

Por ser extremamente comum na nossa população, você provavelmente conhece alguém com diabetes, não é mesmo? Você sabe como a covid-19 se manifesta nessas pessoas e por que elas estão mais vulneráveis à forma grave da doença? Entenda aqui as especificidades desse grupo!

 

O que é diabetes?

O diabetes mellitus é uma doença caracterizada pelo aumento da glicemia, ou seja, a glicose (ou açúcar) presente no sangue. A glicose é uma fonte de energia para o organismo, obtida pelos alimentos e transportada do sangue para dentro das células por um hormônio chamado insulina.

Existem dois tipos de diabetes: o tipo 1 é típico de jovens e é autoimune — ou seja, o sistema imunológico ataca o próprio organismo por erro. Então, as células produtoras de insulina no pâncreas são destruídas e a glicose não consegue ser transportada para as células.

O tipo 2 é mais comum e se desenvolve ao longo de anos. Atinge principalmente adultos e idosos. Ocorre porque as células perdem a capacidade de utilizar corretamente a insulina. Assim, a glicose não entra dentro da célula e acumula no sangue. É o que chamamos de resistência à insulina.

Esse excesso de glicose no sangue, se não controlado, pode levar a hipertensão, problemas no coração, nos rins, e até mesmo na visão! Apesar de não ter cura definitiva, alimentação equilibrada, medicação e atividades físicas podem proteger os diabéticos dessas complicações.

Covid-19 em diabéticos, que podem ser diagnosticados por meio da medida da glicemia.

Photo by Matt Chesin on Unsplash

Por que diabetes é um fator de risco para covid-19 grave?

Diabéticos têm o mesmo risco de contrair a covid-19 do que não-diabéticos. Contudo o risco da doença ser grave é maior em diabéticos. Isso ocorre porque o sistema imunológico do diabético sofre alterações por causa dos problemas causados pelo excesso de açúcar no sangue, levando a

  • um aumento exagerado da reatividade do sistema imunológico, aumentando as chances de ocorrerem complicações pulmonares da covid-19;
  • um estado de hipercoagulabilidade, aumentando ainda mais as chances de tromboembolismos nos pacientes acometidos pela covid-19;
  • um desequilíbrio metabólico, reduzindo então a resposta imune ao SARS-CoV-2.

Além disso, como já mencionamos, o paciente diabético tende a apresentar alterações, a longo prazo, principalmente em órgãos como rins e coração. Essa associação com hipertensão e obesidade, também agrava ainda mais a infecção pelo novo coronavírus.

Quais os sintomas da covid-19 em diabéticos?

Os sintomas da covid-19 em diabéticos são similares aos de não diabéticos: tosse, dor de garganta, cansaço e dificuldade para respirar. Mas a febre, muito comum na maioria das pessoas, pode estar ausente nesses pacientes. Além disso, na tentativa de combater a infecção, pode acontecer um descontrole da regulação do açúcar no sangue, inclusive antes de aparecerem os sintomas da covid-19, provocando vômitos e diarreia.

Como já vimos, diabéticos têm maior risco de desenvolver a forma grave da covid-19. Por isso, fique atento aos sintomas que indicam doença grave, como: 

  • dificuldade de respirar;
  • dor no peito;
  • sensação de falta de ar. 

Caso você sinta algum deles, procure o atendimento médico imediatamente!

Monitor de sinais vitais para casos de covid-19 grave.

Photo by Jair Lázaro on Unsplash

Como o diabético deve se cuidar durante a pandemia?

O cuidado com a saúde não difere muito no contexto da pandemia do novo coronavírus, devendo reforçar os cuidados já propostos pelos profissionais da saúde. O diabético deve manter o controle da glicemia conforme as orientações médicas (medidas periódicas e consultas médicas com a frequência recomendada a cada paciente). O cuidado desses pacientes também deve envolver a educação alimentar (contagem de carboidratos, leitura frequente dos rótulos dos alimentos e consumo consciente dos alimentos), atentar-se ao peso periodicamente e a prática regular de atividades físicas.

Medidas de prevenção da covid-19.
A covid-19 em diabéticos pode causar bastante ansiedade, não é mesmo? Nesse momento, é ainda mais importante entender os seus sintomas e as medidas que podemos fazer para prevenir a doença. Se estiver preocupado ou com dúvidas, acesse o Saúde Digital ou o nosso canal de dúvidas, 155! As medidas de prevenção — higienização frequente das mãos, uso de máscaras e distanciamento social — devem ser sempre mantidas. Esperamos que agora você se sinta mais seguro!

 

Quer saber mais sobre coronavírus? Siga a SES-MG no Instagram, no Facebook e no Twitter.

*Este post foi escrito pelos alunos da Faculdade de Medicina da UFMG pela parceria da SES-MG com o projeto Adote sua Vizinhança em Tempos de covid-19.

Este texto foi redigido conforme as evidências disponíveis até 28/07/2020.

© 2020 SES - Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais. Desenvolvido pela Assessoria de Comunicação Social.