• Banner Blog

Por que os obesos fazem parte do grupo de risco da covid-19 ?

Autores*: Lucas Mauro de Andrade Sucena, Gabriella Yuka Shiomatsu, Vitor Yukio Ninomiya, Ricardo Tadeu de Carvalho.

Você sabe qual a relação entre covid-19 e obesos? Durante este momento de pandemia, em que enfrentamos desafios sem precedentes, é comum que existam dúvidas e receios sobre a doença e seu enfrentamento. Dentre eles, é frequente o questionamento: por que obesos fazem parte do grupo de risco da covid-19?

A SES-MG preparou este texto para explicar por que isso acontece e o que pode ser feito frente à tal situação!

 

Como posso avaliar o meu próprio peso?

Primeiramente, é necessário definir obesidade como uma condição em que uma pessoa possui, como principal caracterísitca, a presença de índice de massa corporal (IMC) maior que 30. E o que é o IMC? Bem, o IMC é calculado por meio de uma relação entre peso e altura, da seguinte maneira:

 

                                                IMC =     Peso (em quilogramas)  

                                                            Altura x Altura (em metros)

 

Pessoa se pesando em balança.

O que significa ter um IMC acima de 30? Sabe-se que indivíduos com obesidade têm maior risco para o desenvolvimento de várias doenças, como diabetes, hipertensão e problemas no coração. No entanto, há níveis de obesidade. Quanto maior o IMC, mais riscos ela traz para a saúde:

  • obesidade Grau I — o IMC está entre 30,0 e 34,9;
  • obesidade Grau II — o IMC está entre 35 e 39,9;
  • obesidade Grau III ou mórbida — o IMC está acima de 40,0.

Observe o exemplo: 

Cálculo do IMC de uma pessoa que possui 1,70 metro de altura e pesa 95 quilogramas:

IMC =    Peso (em quilogramas)   =  95 quilogramas32,87

           Altura x Altura (em metros) ²     1,70 x 1,70

No exemplo, a pessoa apresenta um IMC de 32,87, sendo então classificada em Obesidade Grau I.

Então, qual a relação entre covid-19 e obesidade?

Estudos científicos recentes indicam que os indivíduos com obesidade são mais vulneráveis às formas graves da covid-19, além de sofrerem mais frequentemente com a necessidade de ventilação mecânica e com uma maior mortalidade pela doença. 

Vamos entender o porquê? Alguns dos mecanismos que podem explicar isso são as relações entre obesidade e:

  • disfunções respiratórias, como menor capacidade de comportar ar nos pulmões. A pressão do abdômen (barriga) pode impedir que o pulmão se expanda adequadamente nos momentos de dificuldade para respirar;
  • maior frequência de outras doenças que aumentam o risco em obesos, como diabetes, problemas no coração e nos rins;
  • risco metabólico pela associação com hipertensão, aumento da gordura no sangue (dislipidemia) e pré-diabetes.

Covid-19 e obesos têm uma relação que envolve diversos fatores.

Photo by CDC on Unsplash

Novos estudos apontam que os indivíduos com obesidade apresentam uma atividade elevada de fatores que contribuem para maior inflamação. A perda de controle da inflamação é um dos mecanismos que provocam a forma grave da covid-19, e os obesos estão mais suscetíveis a este risco. Diante dessas evidências, o Protocolo Estadual Infecção Humana pelo SARS-COV-2 considera que os obesos grau 3 (IMC maior ou igual a 40) estão no grupo de risco. No entanto, isso não significa que os demais podem se descuidar.

Entendendo melhor...

Numa tentativa de reagir contra o vírus, o organismo promove uma resposta exagerada, prejudicial a ele mesmo. É possível que você já tenha ouvido falar sobre isso, pelo nome de tempestade de citocinas ou hiper-inflamação

Como cuidar da saúde durante a pandemia?

Há também outro fato muito importante: o período da pandemia e suas consequências aumentam o risco de piora da alimentação e do controle do peso. Estamos nos movimentando menos e enfrentando uma situação excepcionalmente estressante, o que pode contribuir para o ganho de peso. Por isso, precisamos comer bem e nos exercitar, pois esse risco pode ser evitado. 

Você sabia que o estresse pode levar ao ganho de peso?

Sabe-se que o estresse, mais pronunciado ultimamente, aumenta os níveis de substâncias que promovem aumento do apetite — os glicocorticóides circulantes —, sobretudo para alimentos mais calóricos, como doces, pizzas e refrigerantes.

 

Sabendo da relação entre covid-19 grave e obesos, é fundamental que pacientes com obesidade redobrem o cuidado com a saúde e com a prevenção da covid-19. Lembrando que as ações preventivas incluem: 

  • higiene das mãos;
  • uso de máscara;
  • distanciamento social.

Hábitos saudáveis, como ingestão de frutas diariamente, são recomendáveis para todos, inclusive obesos.

Além disso, é importante manter uma alimentação equilibrada, preferindo mais frutas e legumes e menos alimentos industrializados ou ricos em açúcares. Tudo com moderação. Não podemos nos esquecer, também, de buscar atividades que visem controlar os níveis de estresse, sobretudo num momento crítico como este que experimentamos. Com essas atitudes, os grupos de risco da covid-19 podem preparar seu corpo para enfrentar o novo coronavírus e evitar as formas graves! Conseguiu agora entender por que a relação entre os obesos e a covid-19 grave?

 

Quer saber mais sobre o novo coronavírus e a covid-19? Siga a SES-MG no Instagram, no Facebook e no Twitter!

*Este post foi escrito pelos alunos da Faculdade de Medicina da UFMG pela parceria da SES-MG com o projeto Adote sua Vizinhança em Tempos de covid-19.

Este texto foi redigido conforme as evidências disponíveis até 28/07/2020.

© 2022 SES - Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais. Desenvolvido pela Assessoria de Comunicação Social.