• Banner Blog

Você sabe como funciona uma vacina? Entenda os desafios da vacina contra o coronavírus

Autores*: Ingrid Lourenço, Mateus Jorge Nardelli, Vitor Yukio Ninomiya, Ricardo Tadeu de Carvalho. 

A vacina contra o SARS-CoV-2 é fundamental para a resolução da pandemia de covid-19 e reabertura das cidades de forma segura.

No Brasil, algumas vacinas já estão em fase de teste, mas o que isso significa? Como é produzida e como funciona uma vacina? Descubra a resposta para essas perguntas a seguir!

 

O que são as vacinas?

 

As vacinas são utilizadas para induzir imunidade a vírus e bactérias causadores de algumas doenças, já que estimula o organismo a produzir anticorpos contra essas doenças.

Os anticorpos são criados naturalmente (i.e., sem a vacina) pelo nosso corpo quando somos infectados e ficamos doentes – para isso, a pessoa deve ter um sistema imune preservado. Porém, muitas pessoas podem ter a vida em risco se precisarem ser expostas à doença para adquirirem imunidade natural.

O estímulo para produção de anticorpos pela vacina ocorre pela apresentação ao nosso corpo do vírus ou da bactéria, mas de uma maneira que o vacinado não adoece e, ainda assim, adquire imunidade.

Para isso, existem diversos tipos de vacina. Cada um apresenta de forma diferente o microorganismo ao corpo humano, mas o resultado sempre será o mesmo: imunidade.

  • vacina atenuada: apresenta o vírus ou bactéria enfraquecidos;
  • vacina inativada: contém vírus ou bactéria inativados;
  • vacina com toxóides: apresenta uma versão enfraquecida da toxina produzida pela bactéria;
  • vacinas com subunidades: apresenta apenas partes de vírus ou bactérias;

A vacina ajuda o organismo a ter uma defesa melhor contra a infecção e poupa as pessoas das complicações da doença. Crianças e idosos são os mais propensos a essas complicações, por isso é muito importante vaciná-los!

Existem efeitos adversos das vacinas?

Os efeitos adversos da vacina podem ocorrer. Os mais comuns costumam ser leves e duram pouco. Uma vacina só pode ser aprovada para uso se os seus efeitos colaterais graves são raros, e os leves são curtos.

São exemplos de efeitos adversos comuns que duram até 48 horas: dor e vermelhidão no local da aplicação, mal-estar, dor de cabeça e febre.

Efeitos adversos mais raros e graves acometem menos de 1% dos vacinados e incluem reação alérgica grave e choque anafilático.

Os efeitos colaterais podem estar associados à própria vacina, ou, muitas vezes, à ansiedade pela vacinação ou a algum evento que coincidiu com a vacinação, mas não tem relação com ela.

Como é produzida uma vacina? 

A produção da vacina deve começar pela escolha dos componentes do vírus ou bactéria que irão integrar a vacina e determinar qual será o seu tipo.

Após essa escolha, é necessário investigar seu funcionamento e qualidade, então se fazem testes que são divididos em fases:

  • Fase pré-clínica: teste em animais, demora aproximadamente um ano;
  • Fase clínica: teste em humanos e de tempo variável
    • Fase 1: avalia os possíveis efeitos colaterais;
    • Fase 2: avalia a eficácia e capacidade de produzir anticorpos;
    • Fase 3: milhares de pessoas são vacinadas e acompanhadas para comprovar a segurança e eficácia;
  • Fase pós-produção: regulamentação, produção em massa e distribuição da vacina.

A vacina precisa ser aprovada em uma etapa para seguir para outra. Por isso esse processo requer tempo! Esse controle de qualidade evita que vacinas inadequadas sejam distribuídas à população.

Vacina e covid-19: em que pé estamos?

Estudos de diversas vacinas estão acontecendo pelo mundo, mas ainda não há uma vacina direcionada a covid-19.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, 140 estudos estão na etapa pré-clínica e 23 na etapa clínica. O Brasil está envolvido com as duas únicas vacinas que estão na fase 3 – a fase mais avançada:

A produção de uma vacina tem várias etapas e precisa de resultados consistentes para que seja liberada. Apesar dos esforços, há apenas dois estudos de vacina contra covid-19 no mundo em fase avançada e sem previsão de término.

Por isso, a ausência de vacina e de tratamento eficaz reforça a importância de manter as medidas de prevenção!

  • utilize máscara em locais públicos;
  • lave as mãos e use álcool em gel com frequência;
  • permaneça em casa e saia apenas para o necessário;
  • evite aglomerações.

 

Quer saber mais sobre coronavírus? Siga a SES-MG no Instagram, no Facebook e no Twitter.

*Este post foi escrito pelos alunos da Faculdade de Medicina da UFMG pela parceria da SES-MG com o projeto Adote sua Vizinhança em Tempos de covid-19.

Este texto foi redigido conforme as evidências disponíveis até 01/09/2020.

© 2021 SES - Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais. Desenvolvido pela Assessoria de Comunicação Social.