Saúde apresenta novas projeções para a Covid-19 em Minas

Análises apontam possibilidade de queda nos números da doença para daqui a duas semanas

Minas Gerais registra, até o momento, 113.718 casos confirmados da covid-19 e 2.461 óbitos. Para falar sobre a situação da doença no estado, bem como sobre novas projeções, o secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, e o secretário de Estado adjunto de Saúde Marcelo Cabral participaram de coletiva virtual, realizada nesta segunda-feira (27/7), em Belo Horizonte.

Crédito: Gil Leonardi

De acordo com Carlos Eduardo Amaral, o acompanhamento diário da taxa de ocupação de leitos em Minas Gerais vem sinalizando que, de fato, o estado encontra-se na fase de platô.

“Nos últimos dez dias, observa-se claramente que a ocupação de leitos mantém certa estabilidade. Mesmo as regiões que apresentavam uma taxa de ocupação maior, reduziram seu patamar, passando a indicar certa estabilidade. Esse dado é importante para nós, justamente por caracterizar o que chamamos de platô”, explica.

Projeções

De acordo com Carlos Eduardo Amaral, as novas projeções apontam possibilidade de queda nos números da doença para daqui a duas semanas.

“De forma geral, entendemos que esse platô deva durar até meados de agosto e, aí sim, começaremos a ver uma queda mais expressiva. Naturalmente, ressaltamos que há vários fatores associados, como de contaminação, climático, de mobilidade, de distanciamento, entre outros. Então, efetivamente, nós precisamos acompanhar toda a situação”, afirmou o Secretário de Estado de Saúde.

Taxa de ocupação

Ainda de acordo com o Carlos Eduardo Amaral, o primeiro marcador que se tem no que se refere à avaliação da situação da covid-19 em Minas, é a taxa de ocupação.

“A ocupação dos leitos é a primeira medida que nos chama atenção ao longo da evolução de um caso da covid-19. Isso porque uma pessoa contaminada apresentará sintomas por volta de 3 a 5 dias após o contato. Um possível agravamento, com necessidade de internação, pode ocorrer entre 10 e 14 dias e, caso, lamentavelmente, haja a ocorrência de óbito, isso levará uma média de 10 a 14 dias.

Posteriormente, até que a notificação seja feita junto à SES, tem-se mais 10 dias. Então, devido a essa sequencia de eventos, os óbitos demoram um pouco mais para nos sinalizar algo concreto”, detalhou Carlos Eduardo Amaral.

Até o momento, a taxa de ocupação dos leitos de UTI em Minas Gerais está em 67,34%. No que se refere aos leitos de enfermaria, esse número está em 57,51%. “Isso significa que ainda temos muitos leitos livres no estado. Do ponto de vista dos leitos de enfermaria, por exemplo, para 10 leitos que nós abrimos, quatro estão disponíveis para uso, caso haja necessidade internação”, afirmou o secretário.

Surtos da covid-19

Ao longo da coletiva, Carlos Eduardo Amaral também atualizou o número de surtos da covid-19 registrados em Minas Gerais até o momento.

“Vale esclarecer que temos a ocorrência de surto quando mais de três indivíduos são acometidos numa comunidade restrita, como por exemplo, uma empresa ou um asilo. Dessa forma, atualmente o estado registra em torno de 327 surtos, sendo 164 municípios acometidos. De uma maneira geral, todos os surtos mantiveram-se restritos”, pontuou Amaral.

Já o secretário de Estado Adjunto de Saúde, Marcelo Cabral, destacou que o monitoramento dos casos de transmissão da covid-19 é realizado pelas Unidades Básicas de Saúde, no âmbito dos municípios, conforme definido em protocolo.

Por: Jornalismo SES-MG
© 2021 SES - Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais. Desenvolvido pela Assessoria de Comunicação Social.