Municípios da macrorregião de saúde do Norte de Minas aderem ao Plano Minas Consciente

Ao todo, sete municípios que integram a macrorregião de saúde do Norte de Minas já aderiram ao Plano Minas Consciente, lançado pelo governo do estado de Minas Gerais com o objetivo de orientar a flexibilização das medidas de isolamento e distanciamento social com estratégias adotadas para o enfrentamento da pandemia da Covid-19. A proposta criada pelo Governo de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sede) e Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), sugere a retomada gradual do comércio, de serviços e outros setores, tendo em vista a necessidade de levar a sociedade, gradualmente, à normalidade, através de adoção de um sistema de critérios e protocolos sanitários, que garantam a segurança de toda a população. 

Até essa terça-feira (7/6), 176 municípios já haviam aderido ao Minas Consciente. No Norte de Minas, os municípios que já aderiram ao plano têm população superior a 121,7 mil habitantes e são eles: Berizal, Bocaiúva, Brasília de Minas, Claro dos Poções, Guaraciama, Lontra e Ubaí. Os municípios integram as áreas de atuação das regionais de saúde de Montes Claros e Januária.

A superintendente regional de saúde de Montes Claros e coordenadora do Centro de Operações de Emergências em Saúde (COES-MG), Dhyeime Thauanne Pereira Marques, explica que a decisão sobre implantar ou não o plano cabe a cada prefeito. Além do Minas Consciente, outra opção dos gestores municipais é aderir à Deliberação 17 do Comitê Extraordinário Covid-19, publicada em 22/3/2020. A deliberação dispõe sobre medidas emergenciais de restrição e acessibilidade a determinados serviços, bens públicos e privados, enquanto durar o estado de calamidade pública em decorrência da pandemia em todo o estado de Minas Gerais.

Os gestores municipais que optarem pela adesão ao Minas Consciente deverão fazer o acompanhamento contínuo do plano para se informarem sobre qualquer medida de flexibilização, baseada no monitoramento dos seus efeitos sobre a curva de tendência de contaminação, com possibilidade de regressão da flexibilização, em caso de cenários adversos. 

Diariamente, o governo do estado monitora todos os dados da curva epidemiológica e a disponibilidade de leitos por macrorregião. O alinhamento das medidas adotadas por cada prefeito deve-se levar em conta a situação dos municípios vizinhos, uma vez que a decisão de uma localidade traz impactos para o sistema de saúde da região como um todo. O plano aborda uma ótica de retomada gradual, progressiva e regionalizada, que se baseia em critérios e dados epidemiológicos, a partir de um monitoramento constante da situação pandêmica e da capacidade assistencial.

Impactos

O Plano Minas Consciente setoriza as atividades econômicas em quatro partes, que são denominadas “ondas”. A onda verde para os serviços essenciais; a onda branca para a primeira fase; a onda amarela para a segunda fase e a onda vermelha para a terceira fase, a serem liberadas de forma progressiva, conforme indicadores de capacidade assistencial e de propagação da Covid-19, avaliando o cenário de cada região do estado e a taxa de evolução da doença. Essas ondas foram criadas a partir de uma matriz de risco, que leva em conta aspectos econômicos, mas principalmente aspectos relacionados ao impacto das atividades na rede assistencial de saúde. Veja gráfico:

matriz setorizacao
 

Foram levados em consideração critérios econômicos, como o total de empregados do setor; arrecadação per capita; impacto fiscal; impacto na cadeia produtiva e vulnerabilidade perante a crise. O número de trabalhadores, de cidadãos e clientes em circulação; o nível de aglomeração de pessoas e de contágio inerentes a cada atividade e a adaptabilidade do setor, como horários flexíveis, turnos, atendimento à distância etc., também, foram levados em conta.

Após serem pontuados os setores, foram agrupados nas ondas conforme o impacto econômico e a capacidade assistencial. As ondas podem sofrer alterações ao longo do plano, dada a necessidade econômica, impactos da cadeia produtiva e, principalmente, realidade vivida na pandemia e no sistema de saúde da região.

 

Para mais informações sobre o Programa Minas Consciente, acesse: www.mg.gov.br/minasconsciente e confira, também, o passo a passo para a adesão.

Por: Pedro Ricardo
© 2021 SES - Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais. Desenvolvido pela Assessoria de Comunicação Social.