SES-MG orienta municípios sobre plano de vacinação contra covid-19

Em reunião online, secretário de Estado de Saúde destacou importância de se manter um alinhamento entre estado e municípios

Crédito: Fábio MarchettoNa tarde desta terça-feira (22/12), gestores da Secretaria de Estado de Saúde de Minas (SES-MG) se reuniram com representantes dos municípios para apresentar os pontos relevantes do Plano Estadual de Vacinação contra covid-19.

De acordo com o Secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, “o objetivo do encontro é promover um alinhamento estadual, para que todas as prefeituras estejam cientes a respeito das ações estaduais”.

O secretário Adjunto de Estado de Saúde, Marcelo Cabral, pontou que todo o trabalho da Secretaria tem sido desenvolvido com base no monitoramento constante da situação para um planejamento eficaz das ações desenvolvidas.

Já o presidente do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Minas Gerais (COSEMS-MG), Eduardo Luiz da Silva, destacou a importância desse alinhamento entre estado e municípios frente às particularidades específicas desta campanha de vacinação, que exigirá de todos os envolvidos no processo muita dedicação e trabalho.

Plano Estadual de Vacinação para a covid-19 em Minas Gerais

Ao longo da reunião online, a subsecretária de Vigilância em Saúde da SES-MG, Janaína Passos, destacou em sua apresentação que, diferente das demais campanhas já realizadas, a vacinação para covid-19 demandará o envolvimento de outros atores, bem como uma logística diferente.

“A introdução de uma nova vacina traz à tona necessidades como otimização de recursos, incorporação de tecnologia no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), comunicação voltada aos profissionais e à população, permanência de ações de prevenção, como distanciamento, etiqueta respiratória e uso de máscaras e monitoramento de cobertura vacinal”, detalhou Janaína Passos.

A subsecretária falou, ainda, sobre as características e etapas de desenvolvimento das vacinas candidatas, da competência para registro e licenciamento do imunobiológico no Brasil e sobre o pedido emergencial.

“Esse pedido é feito à ANVISA antes do registro final para aplicar a vacina em um grupo específico da população. Precisa ser encaminhado pela empresa fabricante ou importadora da vacina, presente no território brasileiro e pode ser realizado com a fase 3 em andamento. Até 16/12/2020 não houve nenhum pedido de uso emergencial de vacinas direcionado à ANVISA”, explicou.

Carlos Eduardo Amaral destacou que cabe aos estados e municípios estarem prontos para que no momento em que haja uma vacina disponível, seja possível iniciar a imunização imediatamente.

“Lembrando que a disponibilização de uma vacina está condicionada à capacidade de entrega dos laboratórios e à aprovação pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)”, pontuou o secretário de Estado de Saúde.

Carlos Eduardo Amaral reforçou ainda, que o Ministério da Saúde tem a preferência sobre a compra da vacina no pais. Dessa forma, qualquer compra direta somente aconteceria após a campanha nacional de vacinação.

Clique aqui e confira a apresentação completa

Monitoramento de contatos de casos suspeitos e confirmados

Ainda na ocasião, a superintendente de Atenção Primária à Saúde, Camila Oliveira, falou sobre a estratégia de monitoramento de contatos de casos suspeitos e confirmados da covid-19, que tem o objetivo de interromper a cadeia de transmissão da doença, reduzindo o contágio no estado.

“Os municípios já contam com o aplicativo Saúde Digital MG, como ferramenta de trabalho para execução dessa estratégia de monitoramento. Se amplamente aderida, o monitoramento de contatos pode ser muito eficaz, até o momento em que tenhamos uma vacina disponível para a população”, explicou Camila Oliveira.

Por: Fernanda Rosa
© 2021 SES - Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais. Desenvolvido pela Assessoria de Comunicação Social.