Imagem representando o novo coronavírus ou SARS-CoV-2, um dos microorganismos que pode causar a síndrome respiratória aguda grave.

Autores*: Marcela Tozzi, Mateus Jorge Nardelli, Gabriella Yuka Shiomatsu, Vitor Yukio Ninomiya, Ricardo Tadeu de Carvalho.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou situação de pandemia em 11 de março de 2020. Desde então, a covid-19 tem sido o principal assunto em todos os veículos de comunicação por todo o mundo. Sabe-se que essa doença é causada pelo vírus SARS-CoV-2, também conhecido como novo coronavírus. Ele pode causar uma condição bastante grave, chamada de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG)

Com a evolução das pesquisas, aprendemos cada vez mais sobre o perfil do novo coronavírus e a forma como ele age em nosso corpo, mas ainda há muito a ser descoberto. Nesse post, explicaremos sobre os efeitos no nosso organismo para que a covid-19 grave se manifeste, em que situações isso tem mais chance de ocorrer e como se prevenir.

Trata-se de um assunto de extrema importância. Então, não deixe de conferir esse post!

Ambulância pronta para atender casos de emergência, o que é o caso da Síndrome Respiratória Aguda Grave.

Autores*: Letícia Siqueira Araújo, Gabriella Yuka Shiomatsu, Vitor Yukio Ninomiya, Ricardo Tadeu de Carvalho.

Por causa da pandemia do novo coronavírus, causador da covid-19, o termo Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) passou a fazer parte do nosso cotidiano em noticiários e na mídia em geral. Mas, afinal, você sabe o que é Síndrome Respiratória Aguda Grave?

Entender esse conceito é fundamental para saber o porquê das medidas preventivas serem tão importantes. Apesar da covid-19 apresentar sintomas leves na maioria dos casos, as formas graves podem causar a morte do paciente.

Ficou interessado no assunto? Acompanhe o nosso post!

Desenho de casas e pessoas representando o isolamento vertical e isolamento horizontal pela pandemia do coronavírus

Autores*: João Pedro Thimotheo Batista, Leandro José Pedrosa de Lima Oliveira, Lucas Riolo Salles, Leandra Prates Diniz, Gabriella Yuka Shiomatsu, Vitor Yukio Ninomiya, Ricardo Tadeu de Carvalho.

O que você sabe sobre isolamento vertical e isolamento horizontal? Bem, a primeira coisa que devemos esclarecer é que, apesar de o isolamento social ser um conceito que se popularizou, ele não é o mais preciso. É melhor falarmos de distanciamento social. A palavra “isolamento” é melhor utilizada quando nos referimos às medidas voltadas para pessoas com sintomas ou que tiveram contato com casos confirmados ou suspeitos de covid-19. Já o termo “distanciamento” pode ser melhor utilizado quando nos referimos às medidas voltadas para a população geral.

Ambos são medidas de saúde pública de história antiga e, ainda hoje, muito importantes para impedir o avanço de doenças infecciosas, como a covid-19. Existem duas modalidades diferentes de distanciamento: o vertical e o horizontal, e suas diferenças podem gerar dúvidas, assim como na confusão entre termos como quarentena e lockdown.

Embora os dois tipos de distanciamento sejam praticados de maneiras distintas, ambos apresentam seus benefícios e desafios particulares. Nesse texto, você poderá entender melhor as diferenças, além de ter acesso a dados que demonstram a eficácia do distanciamento no contexto da pandemia de covid-19. 

Tubo com amostra de sangue para testes de coronavírus.

Autores*: Mariana Rodrigues, Gabriella Yuka Shiomatsu, Vitor Yukio Ninomiya, Ricardo Tadeu de Carvalho.

Os testes laboratoriais são essenciais para o diagnóstico, acompanhamento e verificação da disseminação dos casos de covid-19. No entanto, os testes devem respeitar critérios muito bem estabelecidos pela vigilância epidemiológica. Sendo, assim, possível utilizar de forma mais estratégica os recursos diagnósticos disponíveis, de acordo com a demanda prioritária dos grupos de risco e as populações mais vulneráveis à infecção.

Quer entender melhor? Então, leia nosso post até o final!

Higienização das mãos com álcool em gel 70%

Autores*: Mariana Pereira Tsukuda, Leandra Prates Diniz, Gabriella Yuka Shiomatsu, Vitor Yukio Ninomiya, Ricardo Tadeu de Carvalho.

No cenário atual, percebe-se que as intervenções não-farmacológicas funcionam como uma importante arma para o enfrentamento e prevenção da pandemia do novo coronavírus. Essa arma se torna ainda mais importante tendo em vista a falta de vacina e tratamento comprovado para a doença.

Felizmente, o conhecimento acerca de medidas de prevenção do covid-19 é amplamente disponível. Saiba como se prevenir logo abaixo!

Exemplo de swab para coleta de RT-PCR

Autores*: Vitor Henrique Toledo, Mateus Jorge Nardelli, Gabriella Yuka Shiomatsu, Vitor Yukio Ninomiya, Ricardo Tadeu de Carvalho

Você sabe quando deve ser feito o PCR-RT para o coronavírus? Após seu surgimento em dezembro de 2019, o novo coronavírus se espalhou rapidamente pelo mundo, levando a Organização Mundial de Saúde a declarar estado de pandemia poucos meses depois. Para tentar conter essa disseminação, a ciência tem se dedicado a elaborar formas efetivas de prevenção, diagnóstico e tratamento da covid-19.

Para isso, foram criados métodos para o diagnóstico da infecção pelo SARS-CoV-2. Cada um possui um mecanismo de ação próprio, o que faz com que tenha vantagens e desvantagens, e, portanto, diferentes indicações. Dentre os exames disponíveis, um dos mais importantes é o teste molecular (PCR-RT).

Afinal, o que é e quando deve ser feito o PCR-RT para o coronavírus? Neste post, vamos explicar como esse teste funciona, suas principais características e em quem ele deve ser feito. 

Mulher fazendo uso da tecnologia como ferramenta para descobrir como saber se estou com coronavírus.

Autores*: Aléxia dos Santos Ribeiro, Gabriella Yuka Shiomatsu, Vitor Yukio Ninomiya, Ricardo Tadeu de Carvalho.

Sabemos que a covid-19 se apresenta de maneira muito semelhante a outras doenças, como a gripe e o resfriado comum. Dúvidas sobre quando procurar atendimento médico, quando testar, e o que é um caso suspeito ou confirmado são comuns. Então, muita gente se pergunta: afinal, como saber se estou com coronavírus?

Nem sempre essa resposta é simples. Mas fique tranquilo: nos casos leves, em que há manifestações da Síndrome Gripal, o tratamento com analgésicos e antitérmicos receitados pelo médico é eficaz mesmo que o vírus não seja identificado. Quer entender melhor? Acompanhe!

Teste rápido para covid-19 mostrando um teste positivo para IgG e IgM e outro negativo.

Autores*: Matheus Gonçalves Flores, Leandra Prates Diniz, Gabriella Yuka Shiomatsu, Vitor Yukio Ninomiya, Ricardo Tadeu de Carvalho,.

Você sabe como funciona o teste rápido para covid-19? Os testes rápidos têm sido assunto frequente nas notícias, pois são uma ferramenta importante para diagnosticar a covid-19 em alguns casos. 

Por isso, é importante saber como eles funcionam e quais as suas limitações. Você sabe quando o teste rápido está indicado? E o que seu resultado pode significar? Para entender as respostas dessas dúvidas tão frequentes, acompanhe nosso texto!

© 2020 SES - Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais. Desenvolvido pela Assessoria de Comunicação Social.