Afinal, um tecido pode eliminar o novo coronavírus?

Autores*: Alessandra Noronha da Silva, Victor Nardelli Durço, Gabriella Yuka Shiomatsu, Vitor Yukio Ninomiya, Ricardo Tadeu de Carvalho.

Você sabia que pesquisadores da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), juntamente com uma empresa brasileira de tecnologia, criaram um tipo de tecido capaz de eliminar o novo coronavírus

Esse material já tinha sido desenvolvido para eliminar alguns microorganismos (fungos e bactérias), evitando os maus odores nos tecidos. Em meio à pandemia, os pesquisadores resolveram testá-lo contra o novo coronavírus. E não é que deu certo? Em testes realizados, o tecido eliminou 99,9% da quantidade de coronavírus depositado na superfície após cerca de 2 a 5 minutos de contato. Vamos entender melhor como esse novo tecido funciona?

 

Do que é feito esse tecido e como ele pode eliminar o novo coronavírus?

Microscópio utilizado na análise de micropartículas.

O novo tecido é constituído por poliéster e algodão, além de ter micropartículas de prata e sílica que são invisíveis a olho nu e muito menores do que um grão de areia. Quando o vírus entra em contato com o material, ocorre uma reação química capaz de produzir uma espécie de água oxigenada, que é o responsável por inativar o novo coronavírus. Desse modo, o material dificulta a adesão do coronavírus aos tecidos. Muito interessante, não é?

Essa nova tecnologia já está sendo utilizada?

Sim! Esse novo material já está sendo comercializado, mas no momento é restrito ao uso hospitalar e caminha para a disponibilização ao uso popular devido à pandemia do novo coronavírus. Além de ter sido testado para verificar se eliminava o novo coronavírus, o material também foi avaliado para ver se causava algum tipo de alergia nos seres humanos para evitar o risco de causar problemas dermatológicos.

Atualmente, ele está sendo utilizado para a produção de equipamentos de proteção individual (EPI) para profissionais de saúde, como máscaras de proteção e roupas hospitalares. Contudo, o novo material poderá ser incorporado em outros tipos de tecido, podendo ser utilizado para a confecção de qualquer roupa. Também estão sendo realizadas novas pesquisas para verificar se ele pode ser incorporado em superfícies de plástico.

Médica vestindo equipamentos de proteção individual confeccionados com tecido que elimina o novo coronavírus.

Photo by H Shaw on Unsplash

Quanto tempo dura esse novo material?

Os pesquisadores ainda não sabem quanto tempo dura o efeito desse material para inativar o novo coronavírus. Entretanto, como o material elimina fungos e bactérias mesmo após 30 lavagens, é provável que a duração seja a mesma para eliminar o coronavírus.

Como esse material contribui no combate ao novo coronavírus?

Como esse material inativa quase totalmente o novo coronavírus, a chance de contaminação ao tocar uma superfície e levar para os olhos ou boca diminui bastante. É um grande avanço e futuramente outros tipos de materiais que usam essa tecnologia poderão ser criados. 

 Medidas de prevenção da covid-19.

Lembre-se que essa nova tecnologia é só mais uma das ferramentas disponíveis na luta contra o coronavírus e, desse modo, não substitui medidas preventivas reforçadas pelas instituições de saúde: utilize máscara, mantenha o distanciamento social (pelo menos 2 metros), higienize as mãos e superfícies com frequência, não toque nos olhos, nariz e boca, e mantenha a “etiqueta respiratória” (ao tossir ou espirrar, cubra a boca e o nariz com o antebraço).

 

Quer saber mais sobre coronavírus? Siga a SES-MG no Instagram, no Facebook e no Twitter.

*Este post foi escrito pelos alunos da Faculdade de Medicina da UFMG pela parceria da SES-MG com o projeto Adote sua Vizinhança em Tempos de covid-19.

Este texto foi redigido conforme as evidências disponíveis até 28/07/2020.

© 2020 SES - Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais. Desenvolvido pela Assessoria de Comunicação Social.